segunda-feira, 1 de dezembro de 2008

Tédio, tédio...

Este blog não é mais atualizado. Veja o novo blog em: www.agileway.com.br

É impressionante como quando fazemos o que gostamos, ficar em casa durante a semana é sinônimo de tédio.

Hoje precisei ir no oftalmologista. Estava com um problema nos olhos e pensei que poderia ser algo mais sério. Como das outras vezes, achava que só a manhã de folga seria o suficiente. Porém, acabaram usando dois colírios em mim (um para dilatar a pupila e outro que eu não sei o que era, mas ardeu a manhã toda) e o meu planejamento acabou indo por água abaixo. Fui recomendado a repousar o dia todo.

A primeira sensação é de "Oba!". Daí cheguei em casa (não conseguia abrir os olhos devido a claridade) e deitei para dormir. Lá pelas 13h acordei, pronto para ir pro trabalho. Sò que percebi que ainda não conseguia ir pra luz...

Então acabei ficando em casa. A contragosto. Sabia que havia muita coisa para fazer no trabalho, mas ainda assim eu não poderia ficar na frente do computador também. Peguei algumas coisas para ler, mas ainda assim o tédio falou mais alto.

Quando entramos em um rítmo como é no meu trabalho e, principalmente, quando gostamos do que estamos fazendo, nós acabamos não nos sentindo bem ficando em casa "descansando". O descanso vira tédio. Eu acabei me sentindo meio inútil!

Isso me fez lembrar de uma frase que eu achei sensacional do Max Gehringer e que tem tudo a ver com essa situação. Era mais ou menos assim:

Como você sabe se está gostando do seu trabalho? A diferença entre um e outro está no seu pensamento ao olhar o relógio, no trabalho, e ver que são 18h. Se você pensar "Puxa vida, já são 18h??" você está bastante satisfeito com seu trabalho. Se você pensar: "Oba! Hora de ir!" você provavelmente está encarando o trabalho como obrigação. A sensação temporal é inversamente proporcional à sua satisfação e motivação no trabalho.

Eu confesso que nunca imaginei que fosse trabalhar 9-10 horas por dia, algumas vezes, e nem me preocupar com isto. E exatamente por isso que tirar uma folga forçada e ficar em casa, o dia todo, pasmem, se tornou enfadonho para mim.

E vocês? Já tiveram sensação parecida?

Um abraço

3 comentários:

L1NUX disse...

Aconteceu exatamente isso comigo a 1 mês qndo entrei de férias! (entrei de férias p/ fazer um curso que estava me interessando muito e resolvi tiras as férias p/ fazer o mesmo) e passei dois dias em casa "sem fazer nada" porque faltavam 3 dias p/ começar o curso...
estranhei MUITO! muito mesmo! mais no decorrer das férias surgiram muito coisa p/ estudar e isso amenizou bastente! o curso acabou exatamente hj e estou voltando ao batente amanha!

Há.. por falar em max gehringer, comprei o livro dele (Emprego de A a Z..)li todo em uma semana... É Excelente! muito bom o livro... recomendo a todos!

Fabrício disse...

Flávio,

Realmente é muito bom quando você trabalha no que gosta e em uma empresa que te oferece um bom ambiente de trabalho. Antes de trabalhar com TI, mas precisamente com Teste e Qualidade de Software, eu trabalhava em um atacado como operador de caixa, lembro muito bem dos dias de pouco movimento nos quais os ponteiros do relógio pareciam andar em câmera lenta (rsrs).

Parabéns pelo blog!

Fuchs disse...

Flavio... eu estava na sua situacao ha alguns tempo atras... ia animado pro trabalho e quando via era 7-8-9h da noite e tinha visto o tempo passar. Chegava em casa e ainda dava uma olhada em alguma coisa. No final de semana, respondia email. Quando ia para a praia, ficava vendo alguma coisa do meu trabalho. E nao me importava com isso.

Hoje, devido a diversos fatores inclusive pessoais, nao estou mais nesse animo. Nao vejo a hora de voltar pra casa e nao fazer nada. Nesse feriado de final de ano fiquei incriveis 6 dias SEM VONTADE de tocar no computador.

Sao fases... eu gostava mais quando eu estava na sua fase, a gente se sente muito bem assim.