sexta-feira, 21 de setembro de 2007

Jogos e gerenciamento

Essa é pro final de semana!

Eu havia mencionado que faria uma lista de jogos de computador que eu acredito que podem agregar alguma coisa ao nosso dia-a-dia no gerenciamento. Pois aqui vão os meus TOP 5 (lembrando que eu cito os jogos que eu joguei!).

NÚMERO 5: Série Brothers in Arms


Esse jogo eu resolvi citar apenas por ter um exemplo de jogos em primeira pessoa. A história é a mesma de quase todos: você assume o papel de um personagem e anda pelos cenários atacando inimigos e etc etc.

O que diferencia este jogo dos demais é a possibilidade de utilizar a coordenação de equipe. Mesmo que tudo seja artificial é interessante perceber que somos o líder de um pelotão e que para vencer os inimigos precisamos organizar cada equipe para atingir o objetivo. Nós passamos mais tempo coordenando do que dando tiros. Eu sou um entusiasta da 2a guerra mundial, então esse jogo caiu como uma luva pra mim!

Acredito que não agregue muito ao nosso dia-a-dia, a não ser o fato de termos que tomar decisões rápidas e coordenar uma equipe. É uma experiência interessante, mas pode requerer um computador mais sofisticado.

Existem os jogos da série Rainbon Six, mas eu considero estes muito complexos...

NÚMERO 4: Série Age of Empires


Duvido que algum de vocês não tenha jogado este jogo :)

O conceito é estratégico: desenvolver sua cidade ou aldeia, enquanto você também tem que repelir ou aniquilar o exercito oponente. Traz um conceito primário de gerenciamento: temos que planejar como será nosso crescimento (se tecnológico ou militar) para priorizar as tarefas.

É interessante por dar uma sensação de que temos que planejar coisas em curto, médio e longo prazo e também de priorizar atividades. Tem uma jogabilidade simples e requer qualquer computador para jogá-lo (nas versões I e II). Claro, existem diversos filhotes deste conceito de jogo para todos os gostos.

NÚMERO 3: Série Total War


Pra mim, os melhores jogos de estratégia são desta série Total War. Joguei as duas últimas versões, o Rome Total War e o Medieval 2 Total War. Ele possui dois tipos de jogos no seu sistema: uma na versão de batalha (similar ao Age of Empires) e outra na versão estratégica propriamente dita.

É extraordinário assumir o papel de um Julio César e partir com seu exército dominando regiões. O planejamento aqui é bastante pesado: não adianta sair criando exército a bangu: o orçamento é apertado! Então para atacar uma região, é preciso ter certeza de que suas cidades conquistadas não ficarão à mercê dos inimigos (a inteligência do computador é configurável e é bastante agressiva!). Cada cidade tem que ser planejada para ser militar, ou tecnológica ou apenas um ponto de referência para o próximo ataque. Um bom planejamento e execução rende conquistas e glórias. O que é espetacular no jogo é o cenário e o som, mas requer um computador um pouco melhor.

Ah sim, também negociamos bastante neste jogo. É preciso buscar aliados e oferecer algo em troca. Alguns são muito chatos então temos que saber negociar (ou em alguns casos, atacar e depois negociar). No Medieval 2, por exemplo, podemos eleger um Papa, conforme é nossa relação com o papado.

Notem quantos aspectos gerenciais existem neste jogo. Eu gosto muito dele, só parei de jogar pois é extremamente viciante.

NÚMERO 2: Série Championship Manager/Football Manager


Outro jogo bem gerencial. Existem jogos neste estilo para qualquer tipo de esporte, mas vamos ficar no futebol, o mais conhecido.

Assumimos um clube de futebol e temos objetivos a alcançar (dependendo do time, ficar na série atual, conquistar o título, etc.). Mexemos desde as contratações, até a tática do jogo. É bastante interessante de jogar, mas o começo requer um planejamento enorme, o que o torna meio chato no início. Porém, depois que se começa, duvido alguém ficar menos de duas horas jogando.

O que este jogo acrescenta em relação aos anteriores é a questão RH: os jogadores tem perfis diferentes. Alguns vão chiar se forem substituidos, outros vão reclamar por não serem aproveitados, outros vão ser desagregadores, etc. Adivinha quem resolve isso? :)

Se não fosse a questão RH, eu o deixaria em 3o lugar, atrás da série Total War. Mas a questão RH é bem interessante de se considerar. Não requer um computador muito sofisticado, mas é meio pesadinho.

NÚMERO 1: Série Sim City


Não tenho não colocar os jogos da série Sim City em primeiro lugar. Este pra mim foi um dos jogos mais revolucionários de todos os tempos (comparáveis aos The Sims, da mesma empresa!). O conceito aqui é sensacional: sem mortes, sem inimigos.

Administrar uma cidade é um grande projeto. Todas as nove áreas do PMBOK podem ser aplicadas neste jogos. Senão vejamos alguns exemplos:

Integração: recebemos relatórios, preenchemos formulários, etc.

Comunicação: podemos criar, na versão 4, alguns cidadãos para receber um feedback da visão deles na nossa cidade.

Riscos: Desastres acontecem. E se seu orçamento não for bom, o impacto será enorme!

RH: Os seus secretários sempre querem que vocês resolvam os problemas deles primeiro. Um quer meio-ambiente, outro quer saúde, outro quer segurança. E as greves rolam soltas...

Qualidade: não adianta planejar as zonas das cidades, por planejar. Se você colocar uma zona residencial de ricos, do lado de uma zona de indústrias, o resultado é catastrófico. Saber o que fazer é essencial.

Escopo: saber o que fazer é o primeiro requisito de qualquer negócio.

Tempo: o jogo não possui um prazo para acabar, mas algumas situações podem ser interessantes para considerar o tempo, como por exemplo zonas agrícolas (elas são excelentes no começo, mas é preciso programar a sua extinção) e sistemas de energia (elas tem prazo de validade, é preciso planejar a substituição em tempos em tempos).

Custos: um dos principais fatores do jogo, o orçamento é minguado e é preciso saber o que fazer com ele.

Aquisições: administre bem seu orçamento, caso contrário será obrigado a fazer parcerias negativas (receber uma zona de testes de lixo atômico, por exemplo, ou um cassino). Isso tudo tem impacto negativo na sua cidade, mas agregam custos. Saber fazer parcerias com outras cidades é interessante também.

Poderia citar todo o processo de iniciação, planejamento, execução, controle e finalização (para alguns conceitos), mas acho que vocês já entenderam o recado.

O legal é que tomar decisões é algo constante no jogo, inclusive "apagar incêndios" a cada minuto. Por exemplo, a demanda por uma zona industrial era grande. Resolvi demolir vários quarteirões de zona comercial (que estava em baixa) e construi a zona industrial. No mês seguinte, a zona industrial caiu horrores (os impostos estavam altos) e meu orçamento quebrou totalmente. hehehe Ainda bem que aqui neste jogo uma decisão errada pode ser corrigida com um "Load game".

Eu recomendo muito este jogo. Se o seu computador não é muito bom, procure versões anteriores (Sim City 2000 ou 3000). É talvez o jogo que mais agregue ao nosso dia-a-dia de gerente. Vale a pena! :)

Bom, estas são minhas dicas para seus finais de semanas serem divertidos e ao mesmo tempo produtivos! Aproveitem.

Abraços!

6 comentários:

Rafael Mueller disse...

Hmmm, eu trocaria Age of Empires por Warcraft3... mas é só pq eu prefiro jogar warcraft mesmo ;P

Anônimo disse...

achei muito irado e eu adoro esses jogos

Anônimo disse...

achei muito irado e eu adoro esses jogos

Anônimo disse...

vai para puta que te pariu

Anônimo disse...

vai voce
xP

Anônimo disse...

vai voce
xP