terça-feira, 22 de abril de 2008

Implantação do SCRUM no laboratório - Parte VII

Hoje foi o primeiro dia da "dinâmica".

Primeiramente, me deparei com alguns problemas operacionais. Comprei post-its (rosa, amarelo, laranja e um reciclável) e três cartolinas. As cartolinas eram pequenas... só vi na hora em que coloquei os post-its. Nada que atrapalhe para ESSA semana, mas para as demais, teremos que rever algumas coisas.

Bom, eu havia marcado para a partir das 14h começar a fazer as reuniões. 15h30 começamos, pois foi a hora que pelo menos UM dos grupos estava totalmente presente.

Eu cheguei as 13h. Fiquei montando os cartazes (taskboards) e pensando em formas de usar o processo no resto da semana. Essa demora para o pessoal chegar já me desmotivou um pouco. Eu noto que eles estão bem interessados em aplicar o SCRUM, mas por ser um laboratório de pesquisa, eles também se sentem descompromissados. É a velha reclamação sobre comprometimento... é dose, não sei mais como usar argumentos e conversar a respeito.

Nessas 1h30 (+/-) que fiquei sozinho, refleti sobre a dificuldade que terei em atingir os objetivos que pretendo. Por um lado eu encaro isso como um baita desafio... é aquela coisa de que temos que superar os limites com os recursos que temos, de ser posteriormente reconhecido por isso. Porém, ao mesmo tempo bate o desânimo em contar com pessoas que faltam um pouco com suas responsabilidades.

Bom, a reunião acabou sendo prejudicada também pois não consegui imprimir as index cards e nem as cartas para o planning poker. Então foi tudo improvisado. O feriado me atrapalhou um pouco e hoje de manhã acabei não tendo tempo de fazer isso.

A agenda foi a seguinte, com cada grupo: homologar as user stories, estimá-las com planning poker (só para eles saberem como funciona), gerar as tarefas e depois agendar a daily scrum.

Definimos que os post-its terão as seguintes cores:

AMARELO (padrão) : tarefas planejadas (planned tasks)

LARANJA : user stories

ROSA : tarefas não planejadas (unplanned tasks)

RECICLADOS : impedimentos

Cada tarefa deve ter no máximo 1 dia de duração, com no mínimo meio-dia. Definimos também que cada tarefa deverá ter só o nome da pessoa que está a fazendo, ou que responderá por ela (caso seja feita por mais de uma pessoa).

Um dos grupos foi bem tranquilo isso, o problema é que é o único projeto em que eu não tenho a menor idéia do que se trata. hehe

Outro grupo também foi tranquilo, pois foi o meu projeto piloto quando fiz a experiência com SCRUM. Eles já conhecem o processo todo.

Porém, nos outros três projetos tivemos problemas.

Um deles, decidimos momentaneamente tirar da dinâmica. Motivo? É um projeto muito teórico que é a base de dois mestrados e alguns trabalhos de conclusão e doutorado. Não consigo ver a geração de valor nele, pois haverá pesquisa, pesquisa e mais pesquisa. Seriam artefatos na forma de relatórios... além disso, as duas pessoas responsáveis não estão mais no laboratório, mas nas baias que servem para os mestrandos/doutorandos. Não teriam a taskboard à vista. E eles não possuem um gerente de projetos... essa é a figura direta de um dos coordenadores. Enfim, um projeto bem difícil e bem complicado para aplicar SCRUM. Decidimos deixá-lo de lado no momento.

O outro projeto trata exclusivamente de testes com RFID. Notamos que a pessoa (é uma só) responsável por ele, estava gerando testes e mais testes mas só obtendo dados... sem ter muita informação. Decidimos então criar cenários de testes, para homologarmos qual será a melhor configuração para captar o máximo de tags para aquela situação específica. Assim teremos um objetivo bem claro e um resultado aparente. Este projeto deixamos em separado, pois como envolve uma pessoa apenas, iremos exigir na dinâmica apenas um "ante-projeto" destes testes. Nada mais.

E por fim, o outro projeto problemático. O SCRUM prevê user stories onde representam a interação do sistema com o usuário. Exemplos de user stories, que achamos por aí:

"O usuário pode depositar o dinheiro na conta"

"O usuário pode definir quais são as pessoas que podem visualizar seu perfil"

"O usuário pode buscar livros pelo autor, nome do livro e código"

São coisas bem específicas e fáceis de visualizar. Mas um dos "projetos" é a criação de uma API para a comunicação da leitora de RFID com a antena. E aí, não há como definir um usuário!! Ficamos quase 1 hora em reunião para conseguir achar duas míseras user stories para essa situação e acabamos definindo coisas técnicas: a geração da versão em Java e a modelagem e estrutura padrão para as API's.

Nessa hora eu percebi como o conceito de user story precisa ser aprofundado por mim e pelo meu colega que está me auxiliando. Ainda temos dúvidas nesse tipo de situação. Um sistema pode ser um ator? E no caso de envolver só hardware ou este tipo de camada mais baixa? Criamos uma user story grandona (que suba até o alto nível) ou deixamos ela mais técnica mesmo? Questionamentos, questionamentos...

Foi um dia de reuniões, pra variar. Agora irei disparar um email avisando os grupos dos horários das daily scrum. E vamos começar a ver o que acontece. Tomara que todos consigam cumprir suas user stories, pois não estamos exigindo nada demais.

Vou levantar um questionário e tasklist de itens que precisamos levantar para a semana que vem, para termos uma taskboard direita e também para lembrarmos de coisas para a retrospectiva.

Ufa, o dia hoje foi isso. Conversa, conversa e um pouco de desmotivação...

Será que consigo mudar? O tempo dirá.

Um abraço a todos!

PARTE VIII

2 comentários:

Roger disse...

Possivel ajuda:
http://malditacomedia.blogspot.com/2008/04/tudo-sobre-user-stories.html

Vai na fé, quando desmotivar, lembre o quanto já passou raiva com waterfall "tradicional".

sucesso!
Roger Leite

Fuchs disse...

Flávio, te entendo quando a motivacao baixa depois de tentar algo com o pessoal... mas nao desiste, de alguma forma ou de outra a gente vai ter que fazer o pessoal criar a cultura nova.

Tambem trabalho com hardware e alguma coisa mais baixo nivel. É dificil pensar em user stories, mas eu já pensei muito sobre isso e isso consigo vislumbrar bem... qualquer coisa da um toque.