quinta-feira, 15 de maio de 2008

Trabalho em equipe e liderança no foco militar: vale a pena para uma empresa?

Como eu disse, o episódio do Aprendiz trouxe uma questão interessante. Será que vale a pena utilizar a liderança/hierarquia/trabalho em equipe que os militares usam, num ambiente de empresa?

A minha opinião é não. São ambientes completamente diferentes. Por mais que o exercício proposto (vivenciar a situação, como no episódio) seja interessante, eu não acredito que o resultado mude muita coisa.

Liderança? É evidente que em situações como aquelas em que são submetidos, as lideranças afloram. Isso nós vemos volta e meia em filmes de guerra. Quando os líderes fraquejam, sempre existe alguém que assumo e orienta o grupo. Porém, a liderança no estilo militar, ou melhor, a liderança que é vivenciada ali no exercício, é muito mais pela força do que pela capacidade. Muito por causa da hierarquia militar, algo que é milenar e que nunca mudará. Se o capitão manda fazer, o soldado não pode nem piar... tem que fazer. Para um ambiente militar isso talvez deva ser necessário. Mas em um ambiente de empresas? Não é exatamente isso que a gente tenta mudar na chamada "administração moderna"?

Trabalho em equipe? Olha, um exercício desses traz enormes benefícios para trabalho em equipe. No campo militar isso é talvez a coisa mais importante que existe. Lembro de uma frase do filme "300", em que o Rei Leonidas fala "A verdadeira força do guerreiro está no guerreiro ao seu lado. Respeite-o e honre-o e você também será respeitado e honrado".

Isso podemos trazer para o mundo empresarial, com certeza. Respeitar e auxiliar seus companheiros, pois toda equipe busca um objetivo em comum. Mas isso funciona muito mais se você trabalhar SEMPRE com a mesma equipe, pois ela criará uma cumplicidade entre os membros que não será a mesma se entrarem outros ou se a equipe for dissolvida.

Enfim, eu acredito que seja realmente uma experiência bem interessante. Mas encaro isso como uma forma mais de auto-conhecimento do que realmente de benefícios para equipe ou liderança.

E vocês, leitor? O que pensa disso? Acha que podemos aplicar conceitos militares nas nossas empresas? Comente aí!

Abraços

Um comentário:

Vitor Mattoso disse...

Flavio,

Confesso que discordo do seu posicionamento radical, do "NÃO" já no início do texto. Acredito que, quando se fala de liderança militar, devemos extrair para as empresas os mais interessantes conceitos e como eles são trabalhados no ambiente militar e, não a parte que simplesmente não interessa para a empresa.
Com certeza fazer um curso no padrão visto em "O Aprendiz" muda muito uma pessoa, por experiência própria.
Caso queira trocar uma idéia sobre o assunto, entre em contato.

Um forte abraço.
Mattoso